Ser lâmpada acesa é a vocação do cristão

Ser lâmpada acesa é a vocação do cristão

Ser lâmpada acesa é a vocação do cristão

“Vós sois o sal da terra… Vós sois a luz do mundo” (Mt 5,13.14). O Santo Padre destaca que esta frase surpreende, se pensarmos que quando Jesus disse isso, Ele tinha diante de si apenas pescadores, “gente simples”, mas explicou o Pontífice, “Jesus os olha com os olhos de Deus, e sua afirmação entende-se como consequência das bem-aventuranças, como quem diz: se fordes pobres em espírito, mansos, puros de coração, misericordiosos … sereis o sal da terra e a luz do mundo!” Francisco destaca que a própria lei judaica prescrevia para colocar um pouco de sal sobre cada oferta apresentada a Deus, como sinal de aliança. E a luz, para Israel, era o símbolo da revelação messiânica que triunfa sobre as trevas do paganismo. Deste aspecto, o Papa ressalta a missão dos cristãos em relação a todos os homens: “com a fé e a caridade podem orientar, consagrar, fazer fecunda a humanidade”. “Todos nós os batizados somos discípulos missionários e somos chamados a nos tornarmos no mundo um Evangelho vivo: com uma vida santa daremos ‘sabor’ aos diferentes ambientes e os defenderemos da corrupção, como faz o sal; e levaremos a luz de Cristo com o testemunho de uma caridade genuína. Mas se os cristãos perdem o sabor e se apagam, a sua presença perde a eficácia”, explicou o Santo Padre. É, pois, muito bela a missão do cristão no mundo, acrescentou espontaneamente o Papa, ser sal e ser luz, sublinhando que o cristão não deve sê-lo apenas de nome. “Como quereis viver, perguntou aos presentes, como lâmpadas apagadas ou como lâmpadas acesas? E concluiu afirmando que “ser lâmpada acesa é a vocação do cristão”. Após o Angelus, Papa Francisco recordou que nesta terça-feira, 9, Festa de Nossa Senhora de Lourdes, celebra-se o Dia Mundial do Doente. O Pontífice falou que a dignidade da pessoa não termina quando ela está fraca e necessita de ajuda, e explicou qual a postura dos cristãos para com os enfermos.